Categorias
Institucional

Fomento e Movimento

Valdomiro Poliselli Júnior, proprietário da VPJ Pecuaria e Presidente da ABCDorper, fala sobre o desenvolvimento das raças Dorper e White Dorper no Brasil, melhoria genética e sobre a bem-sucedida inserção no mercado nacional.

1 – Em que ano iniciou a criação de ovinos?

Foi em 2003, com a primeira importação de embriões da Austrália. Depois, com inúmeras importações de animais vivos e embriões de ovelhas adquiridas pela VPJ naquele país. Da África do Sul, foram quatro importações de embriões.

2 – Como isso aconteceu? Importou animais e embriões?

História boa!!! Em 2001, viajava pelo Canadá para compra de Femeas Angus PO, para importar ao Brasil (criamos Angus desde 1998) e, em visita a uma criadora, conheci, quase que por acidente, um lote em torno de 50 cordeiros Dorper desmamados, gordos e sadios. Lá estavam eles, debaixo de uma neve de 7 graus negativos. Quando soube que eram da África do Sul, a curiosidade aumentou, pois são lugares extremos, e os bichos nem aí. Passados dois anos, um veterinário me procurou oferecendo 400 embriões de uma raça nova que os australianos queriam implantar no Brasil, e que ninguém estava dando atenção. Naquele momento, compramos os embriões. E daí em diante, foi como foi, muito sucesso.

3 – Por que a escolha da raça Dorper? Quais as características, as vantagens? O diferencial da raça para desenvolvimento da criação nacional?

O Dorper é um boi Angus em miniatura! Tem as mesmas características de produção, qualidade da carne e rendimentos. É, com certeza, a melhor carne ovina do mundo moderno. Digo mundo moderno em referência à alta gastronomia de hoje, que preconiza animais super precoces e com ausência de odor característico de ovinos mais velhos.

No Brasil, o Dorper tem se mostrado com uma excepcional adaptação, principalmente no Nordeste, onde se tem menos chuvas – os ovinos gostam de climas secos como o semiárido da África do Sul. Quatro anos atrás, o Nordeste passou por uma seca muito rígida, perdendo grande parte dos rebanhos bovinos e ovinos, porém, a raça Dorper foi a que aguentou o tranco. Com isso, os criadores nordestinos, passaram a incrementar as criações da raça na região.

4 – Como via a produtividade da carne desses produtos. Havia, na época uma carência de conhecimento e demanda no Brasil?

O sistema de produção de ovinos no país ainda é muito desorganizado. Os volumes dos rebanhos por criadores, geralmente são pequenos ou mal dimensionados para as propriedades ou regiões, e até mesmo com as demandas dos frigoríficos.

Este é um trabalho que a ABCDorper deve atuar de agora em diante, inserindo no site as orientações necessárias para o criador ganhar dinheiro com cordeiros destinados ao abate.

5 – O que mudou nestes anos em relação ao mercado, referente ao aumento de criadores, técnicas e melhoramento genético, distribuição e aceitação dos consumidores?

Como parâmetro, em 2003 quando a VPJ deu start, éramos em dois ou três criadores no país. Atualmente (2020), somos mais de 1.000 criadores, registrando animais Dorper e White Dorper PO.

O melhoramento genético é sensacional, pois os criadores expoentes têm importado frequentemente material genético da melhor qualidade para o Brasil.

A aceitação do Dorper como raça é incrível. Isso devido suas características produtivas e adaptação, além da carne ser um fenômeno de qualidade reconhecida mundialmente.

6 – Quando a Associação do Dorper foi criada? Quais eram as diretrizes?

A ABCDorper – Associação Brasileira de Criadores de Dorper e White Dorper foi fundada em junho de 2000 no Paraná, por um grupo de criadores entusiastas de diferentes regiões do país. Na mesma época, também surgiu uma associação de criadores na região Nordeste, que depois de alguns anos se fundiu à ABCDorper, fortalecendo assim as raças Dorper e White Dorper em todo território brasileiro.

No início, o objetivo era reunir os criadores e promover as raças como opção para o cruzamento industrial na produção para cordeiros para abate. Atualmente, além do objetivo inicial, a ABCDorper atua representando as raças junto a órgãos como a ARCO – Associação Brasileira de Criadores de Ovinos e a Câmara Setorial Nacional de Caprinos e Ovinos, levando sugestões e discutindo sobre a necessidade da implementação de programas de melhoramento genético, protocolos para exportação de material genético (sêmen, embriões e animais), programas de incentivo ao consumo de carne ovina entre outros.

7 – Qual o principal papel da ABCDorper? Você assumiu a presidência da entidade em que ano? Como planeja alavancar as ações da Associação?

O papel principal é promover as raças Dorper e White Dorper, trazendo benefícios aos criadores associados. Participei das primeiras gestões, fui presidente no período de 2004 a 2010, e agora novamente, por dois anos (2020/2021).

8 – Fale um pouco sobre os eventos realizados pela associação. Pretende enfatizar esse setor? Comente também sobre a importância, frequência e dinâmica dos leilões.

Atualmente a ABCDorper realiza a exposição nacional e pretendemos fomentar a partir de 2021 um calendário mais arrojado de julgamentos, provas de ganho de peso, programas de orientação a criações de carne e melhoramento genético das raças puras.

9 – Como está seu criatório hoje? E o rebanho no Brasil? Tem os números que apontam esse crescimento no país?

Rebanho da VPJ foi direcionado para um programa de produção de super reprodutores com avaliações e performance para produção de reprodutores para transmitirem melhor qualidade e quantidade de carnes nobres no cruzamento em parceria com o IZ (Instituto de Zootecnia de Nova Odessa). Estamos escaneando todo o rebanho e mensurando resultados nas provas de ganhos pós desmama e mensuração por ultrassonografia das carcaças vivas 

No Brasil, em 2009, eram apenas 35 mil animais registrados. Em 2018, o Brasil alcançou o maior rebanho da raça Dorper PO do mundo, com 122.500 animais (crescimento de 350%) registrados na Associação Brasileira de Criadores de Ovinos – ARCO e mais de 800 criadores espalhados por todos os estados do país. Hoje, são cerca de 140.000 animais registrados e 1.000 criadores espalhados por 21 estados brasileiros.

10 – Se fosse definir um slogan para uma campanha da carne de cordeiro de padrão internacional, produzido aqui no Brasil, como ele seria?

Brazilian Sheep Dorper, The Best!