Julgamento Dorper & White Dorper

Saiba quais são os critérios avaliados e entenda como que funciona, na prática, as exposições das raças

Quando o assunto é julgamento do Dorper e White Dorper surgem várias opiniões, pontos de vista e preferências. Contudo, partindo do princípio que as duas raças são oriundas de uma mesma região semi-árida, deve-se respeitar os motivos pelos quais elas foram criadas. Ou seja, para produção de cordeiros para carne com alta qualidade a um custo baixo para os criadores, envolvendo conversão alimentar, conformação de carcaça e precocidade sexual.

Sendo assim, para produzir e reproduzir em seu país de origem, estas raças necessitam suportar grandes amplitudes térmicas, e caminhar longas distâncias em busca de alimento e água. Portanto, pernas corretas e cascos resistentes são fundamentais para sobrevivência. Além disso, devido ao fato de seu corpo ser coberto por uma mistura de pelos e lã, sua pele mais grossa é muitas vezes bem pigmentada, evitando a fotossenssibilidade. Além disso, os animais possuem grande adaptabilidade às diferentes temperaturas e climas. 

Estes e outros aspectos estão detalhadamente descritos em livro do stand racial (disponível para download no site da ABCDorper), que foi elaborado pela Associação Sul-Africana dos Criadores de Dorper & White Dorper. Em suma, durante os julgamentos é importante observar mais a funcionalidade, harmonia, feminilidade/masculinidade e, principalmente, saber avaliar/valorizar um bom animal, mesmo que este não se apresente com escore corporal alto no momento do julgamento. 

Antes de mais nada vale destacar que é a partir do resultado de classificação nas exposições que a maioria dos criadores direciona a seleção dos reprodutores e matrizes em relação ao fenótipo de seus animais. Sem falar, ainda, que é neste momento que são avaliados o trabalho dos cabanheiros e consultores das cabanhas em evidência.

Inegavelmente, os jurados têm uma difícil missão, entre balancear critérios técnicos, conhecimento prático e bom senso, amparados por dados técnicos e olhos clínicos. Sem esquecer, assim, do stand da raça, características de produtividade, funcionalidade, harmonia e beleza.

Julgamento na prática

Dentro da pista de julgamento ficam o jurado (ou trio de jurados), secretário, auxiliares de pista, cabanheiros e, evidentemente, os animais. Mas ao redor dela pode-se considerar mais um número de jurados igual ao número de espectadores, pois, afinal, quem não quer dar sua opinião, sendo que vários destes espectadores também conhecem muito sobre zootecnia?

Como não se pode agradar a todos, resta ao jurado ser o mais coerente possível, seguindo uma linha de julgamento do começo ao fim, tentando não cometer nenhuma injustiça com os animais, sem levar em consideração quem são os proprietários ou suas próprias preferências.

Sobretudo, adequando-se ao Regulamento de Exposições da ABC Dorper tudo fica mais fácil, rápido e produtivo para estas raças fantásticas, que não necessitam de artifícios desonestos e sim uma boa alimentação, bom manejo sanitário e reprodutivo e, o mais importante, respeito em sua exploração econômica.

Cuidados com a apresentação

No momento dos cabanheiros apresentarem seus animais, os mesmos devem estar tosquiados e com os cascos aparados, banhados e perfeitamente adestrados ao cabresto. Depois, os indivíduos que se apresentem do modo melhor possível. Este é o trabalho de um bom cabanheiro, que não deve aparecer mais que os animais, e agir com seriedade na hora do julgamento.

O fenótipo moderno para produção de cordeiros, independente da raça, é um animal com estatura moderada, com masculinidade ou feminilidade conforme o sexo, que agrade visualmente, sem pecar gravemente em nenhum aspecto funcional, de preferência mais longos, profundos (que se mede da linha dorsal até a linha ventral), bem convexos, com bons aprumos, linha de dorsal plana, musculosos sem exagero (principalmente para as fêmeas), sem acúmulos de gordura e com boa distribuição ao longo de toda corpo, com boa estampa racial e com um conjunto harmônico/equilibrado dos itens citados.

Saber reconhecer a qualidade dos concorrentes ajuda muito a alcançar os objetivos de uma cabanha, que deve sempre estar em evolução, o que normalmente gera cordialidade, reconhecimento também pelos concorrentes e sucesso.

Comentários

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
X